Músicos com deficiência visual apresentam resultado da Oficina Música Tátil - TICTAG

Blog

Foto do professor Luiz Amorim em uma sala de aula. Ele está de costas, toca violão para os alunos dispostos em semicírculo.
25 jan, 2020

Músicos com deficiência visual apresentam resultado da Oficina Música Tátil

Músicos com deficiência visual comandada pelo Professor Luiz Amorim abrirá, hoje (sábado, 25), às 14h, a apresentação dos alunos da 37ª Oficina de Música de Curitiba. O evento ocorrerá no Paiol com entrada gratuita.

Será a primeira vez na história do evento que alunos com essa característica serão estrelas de um espetáculo. A direção é do maestro João Egashira.

Subirão ao palco 18 artistas, entre cantores, instrumentistas e o professor. Seis têm deficiência visual e, além de cantar, vão tocar teclado, violão, violino e bateria. Luiz Amorim, responsável pela iniciativa, é violinista e professor com baixa visão que deu aulas de teoria e prática musical durante o evento. O seu trabalho já é realizado no Instituto Paranaense de Cegos e, este ano, surgiu a oportunidade da realização da Oficina Música Tátil, neste grande evento, que traz a Curitiba músicos de diversos estados e países.

Preparativos

Para manter a expectativa do público sobre a apresentação, ele prefere não entrar em detalhes. “Vamos fazer uma demonstração do que trabalhamos nas duas oficinas e reunir músicos e cantores cegos e com baixa visão com outros. Os cantores lerão as músicas em partituras em Braille e mostraremos como é possível fazer boa música, independentemente dos obstáculos trazidos pela deficiência”, revelou Amorim, nesta sexta-feira (24/1), antes do ensaio, no campus central da PUC.

Isso inclui uma das composições do homenageado da 37ª edição da Oficina, o gênio erudito alemão Beethoven, que ganhará sonoridades do baião – ritmo característico do Nordeste brasileiro. O público também ouvirá Que Nem a Gente, de Celso Viáfora, considerado um desafio para o grupo.

“De propósito, propusemos uma canção nova para todos, a fim de concentrar os esforços do grupo para a apresentação”, explica Amorim. A canção fala das diferenças existentes entre as pessoas e as ideias preconcebidas que muitos costumam fazer sobre elas.

A 37ª Oficina de Música de Curitiba tem o patrocínio da Caixa Econômica Federal e apoio de Família Farinha, Comunidade Luterana Igreja de Cristo, Igreja Bom Jesus dos Perdões, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), Bicicletaria Cultural, Universidade Federal do Paraná, Lamusa – Laboratório de Música Antiga da Universidade Federal do Paraná, Sistema FIEP, Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (PROEC), HOG The One Curitiba, Solar do Rosário, Casillo Advogados e apoio máster do Teatro Guaíra e Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR).

#pracegover #pratodosverem Foto do professor Luiz Amorim em uma sala de aula. Ele está de costas, toca violão para os alunos dispostos em semicírculo.

Fonte: Editado do Site Prefeitura de Curitiba

Entre em contato

Tic Tag Comunicação & Educação Acessíveis - Prestação de serviços nas áreas de educação, editoração, comunicação e acessibilidade - Audiodescrição (AD) e Legendagem para Surdos e Ensurdecidos (LSE).