Educação domiciliar: qual a sua opinião sobre essa decisão governamental? - TICTAG

Blog

educação: crianças dispostas em círculo brincam com peças de madeira. Foto tirada de cima.
08 maio, 2019

Educação domiciliar: qual a sua opinião sobre essa decisão governamental?

Qual a sua opinião sobre educação domiciliar? Esta é mais uma das polêmicas do governo Bolsonaro. O presidente quer regulamentar a educação domiciliar, prática comum e permitida em países como Estados Unidos, Austrália, Canadá, Reino Unido, França e Paraguai. Em contraste, considerada crime na Alemanha e Suécia. Esta matéria não é para formar uma opinião contra ou a favor, apenas passar informações da pesquisa que fiz para saber mais sobre o assunto e que gostaria de compartilhar. Portanto, também procurei um diretor de escola e uma psicopedagoga para saber a opinião deles.

Nos Estados Unidos, a homeschooling cresce de 2 a 8% ao ano. Cerca de 2 milhões de pessoas foram educadas em casa. Enquanto, na Alemanha e Suécia a família que não colocar o filho na escola está sujeita a perder a guarda da criança ou jovem. No Brasil, estima-se que são cerca de cinco mil famílias brasileiras, que optam por educar os filhos em casa. No entanto, a prática da família de assumir por inteiro a responsabilidade de educar a criança ou jovem, sem a participação de uma instituição de ensino, é considerada ilegal pelo STF.

A psicopedagoga, Ana Cláudia Zanardi Dietrich, respeita as famílias que optam pela educação domiciliar. No entanto, ela vê a família como algo complementar ao trabalho realizado pela escola. Para ela, cabe à família atuar na rotina do filho por um vínculo de aprendizagem, mas é na escola, por meio do espaço como terceiro educador, das relações socioemocionais que o  desenvolvimento é mais completo.

Já para o diretor geral da CEI Trilhas do Saber, Everton Renaud, em casa sempre se ensina. No entanto, ele questiona: Para quem se aplica e quem tem as condições para fazer? “Educação domiciliar, feita com preparo e contando com o compromisso e fundamentação suficiente na família, pode ser positiva, assim como deixa a desejar, pois é na escola, que a criança encontrará um espaço coletivo, com um papel importante para a socialização, porque nós somos seres sociais”, acredita.

Por que alguns pais optam pela educação domiciliar?

Permitida em alguns países e crime em outros. E os pais, por que muitos optam pela educação familiar? Estima-se, provavelmente, segundo o Governo, que 30 mil famílias brasileiras têm interesse em adotar esse método. As razões, muitas vezes batem na insatisfação com as instituições educacionais. Acreditam que no ambiente escolar o estudante é exposto a más influências ou manipulações; alguns julgam que as instituições de ensino são de má qualidade, adotam metodologias que os pais discordam e com educadores mal formados; em alguns casos, a criança ou jovem possui necessidades específicas que dificilmente são bem direcionadas pelas escolas (em um outro post quero falar só sobre esse tema, abordando a inserção da criança com deficiência no ensino regular); e outros pais enxergam a educação domiciliar como uma forma de estabelecer um vínculo familiar e proporcionar um ambiente mais estimulante de aprendizado.

E para você, qual a sua opinião sobre a educação domiciliar?  Uma das fontes para escrever essa matéria foi o site Politize. No início, achei que ele fosse parcial, militando para um lado político; mas o site é uma excelente fonte para formar a opinião. Saiba mais sobre o tema, no post escrito por Isabela Moraes, graduanda de Relações Internacionais, pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Seu objetivo é ajudar a descomplicar a política e aproximá-la das pessoas, incentivando a participação democrática.

Entre em contato

Tic Tag Comunicação & Educação Acessíveis - Prestação de serviços nas áreas de educação, editoração, comunicação e acessibilidade - Audiodescrição (AD) e Legendagem para Surdos e Ensurdecidos (LSE).